Como funciona o crediário? Bem explicado!

O crediário já foi uma ferramenta financeira muito utilizada pelos brasileiros antes da democratização do acesso aos empréstimos e cartões de crédito. Hoje, os crediários são menos populares, mas ainda existem e podem ser uma opção para financiar suas compras e gastos.O que é o crediário?
Antigamente, várias lojas forneciam o crediário diretamente em suas unidades. Algumas delas ainda mantém esses crediários. Porém, eles agora estão sendo mais associados à cartões de crédito, tanto de bancos e instituições financeiras quanto de redes de lojas espalhadas pelo Brasil afora. O crediário já foi conhecido também como o “carnê”, que muitas pessoas já utilizaram para fazer o pagamento de vários itens para suas casas quando os cartões de crédito eram de mais difícil acesso pelas camadas mais humildes da população.Como funciona o crediário?
O crediário é uma forma de financiar suas compras em mais parcelas do que um cartão permite. Enquanto um cartão de crédito permite a você financiar suas compras em até 12 parcelas (na maior parte das vezes), o crediário permite que esse financiamento seja estendido por até 48 vezes. Em alguns casos, pode chegar a até 54 vezes. Lógico que ao financiar sua compra, em cada parcela estarão inseridos juros que tornarão mais caras suas compras. Para ter o acesso ao crediário, geralmente é feita uma análise de crédito do cliente, seja através do banco ou instituição financeira ou pela loja onde ele pretende fazer a compra.Cuidados com o crediário
O crediário já foi o grande vilão das finanças familiares. Hoje esse papel foi “roubado” pelos cartões de crédito, mas o crediário não deixou de ser um ator importante no endividamento das famílias brasileiras. Para qualquer compra que vamos fazer em nossas vidas, precisamos pensar bem nas nossas finanças para não acabar endividado. A maior parte das compras que fazemos é por impulso e sem planejamento algum. Você pode confirmar isso ao lembrar quantas vezes você já não comprou um produto e ou se arrependeu depois ou descobriu que ele era mais barato em outra loja. Claro, você tentou se convencer que foi uma boa compra apenas para não admitir que foi impulsivo. Então, ao planejar suas comprar, o que devo tomar cuidado no crediário?
Na tabela, uma comparação de crediários entre bancos para diferentes bens e o valor de juros e das parcelas. Perceba que em alguns casos, os produtos terão um preço final até 87% mais caros do que o valor à vista. (Foto: www.jornalcash.com.br)
Crediário sem Juros. Existem lojas que ainda ousam dizer que crediários são sem juros. Existem projetos de lei que estão querendo banir essa propaganda enganosa. Isso porque QUALQUER parcelamento tem juros embutidos. Tente negociar o produto à vista e tenha certeza de que você vai conseguir um significativo desconto no preço do produto correspondente aos juros ocultos no parcelamento do crediário.
Taxas de Juros. Taxas de juros de 6% ao mês podem parecer muito pouco. Mas em uma conta bem simples, em 12 meses você terá pago 36% de juros sobre o valor total do produto. Isso cogitando que você parcele o produto em 12 vezes, o que geralmente não acontece no crediário, sendo mais parcelas o tipo de financiamento mais comum no crediário. Portanto, tenha cuidado ao avaliar as taxas de juros. CET. Custo Efetivo Total. Todo financiamento tem que ter um CET e isso não é diferente no crediário. Este valor vai te dar o total que você pagará pelo produto a ser financiado no crediário, inclusos os juros e o custo do produto em si.
Comparar outras opções de pagamento. O crediário deve ser sua última opção de financiamento para um produto. Esta forma de financiamento tem juros altos, geralmente até maiores do que os cartões de crédito. Antes de se comprometer ao pagamento destes juros, compare os preços da compra à vista, o parcelamento no cartão ou outras formas possíveis de pagamento para o produto.
Idoneidade da empresa. Existem muitas empresas por aí que fazem crediários com parcelas com muito mais juros do que a concorrência. Estas são aquelas que irão fazer propagandas de qualquer jeito e querer de todas as formas te convencer a fazer o crediário, dado que terão uma maior margem de lucro por conta dos juros. Tome cuidado e pesquise com amigos, familiares e pela internet antes de fazer a compra.Como evitar fazer o crediário?
Certa vez um amigo me deu um conselho de só comprar as coisas que quero quando eu tiver dinheiro para comprar o mesmo produto duas vezes. Como o crediário é geralmente usado para produtos de até R$5.000, acredito que isso seja possível com um pouco de planejamento e economia. Mesmo que você não tenha o dobro, tenha pelo menos o valor para pagamento à vista, de forma que você possa negociar os preços e formas de pagamentos.
Você também pode optar por parcelar no cartão de crédito ou cheque, com menores juros e maior segurança, desde que você pague as faturas do cartão de crédito inteiras todo o mês e tenha sempre saldo em sua conta para quando os cheques forem descontados. Mesmo com juros, o cartão de crédito é praticamente sempre mais barato que o crediário.Quem deve optar fazer o crediário?
Digamos que você não tem familiares e nem amigos que possam te emprestar dinheiro, nem uma linha de crédito em qualquer banco que seja (incluindo aqui os limites do cartão de crédito) e precisa urgente fazer uma compra como, por exemplo, uma geladeira. Apenas esta pessoa deve optar pelo crediário. Existem crediários em condições especiais, como aqueles em associação ao BNDES. Estes tem taxas de juros muito baixas e valem a pena. Mas fora eles, fuja dos crediários e opte por formas mais acessíveis e baratas de financiar suas compras.
Você já teve que usar crediário? Como foi a experiência? O que recomendaria a outros leitores? Postem nos comentários sua vivência!