Quanto devo pagar de INSS?

Todos nós já começamos nossa vida financeira pensando na aposentadoria. Recebemos nossos primeiros salários já fazendo nossas disciplinadas contribuições para o INSS. O problema é não saber quanto vou ganhar quando me aposentar. Um autônomo ou profissional liberal vai ter sempre essa dúvida, assim como o Microempreendedor Individual ou empregado que queira contribuir a mais para a Previdência Social e aposentar ganhando mais. É melhor entender melhor a Previdência Social e o INSS antes de sair contribuindo com qualquer valor, e acabar se aposentando no prejuízo.
O que é a Previdência Social?
As contribuições ao INSS são como um seguro de vida para o contribuinte. A Previdência Social garante ao contribuinte proventos no momento em que ele se aposentar, seja por idade, invalidez, tempo de contribuição para o INSS ou uma aposentadoria especial, quando o contribuinte trabalha muito tempo em exposição à condições prejudiciais à sua saúde, como ambientes de trabalho onde há muito barulho ou muita poeira, por exemplo.
Como pagar o INSS para eu ter direito aos benefícios de aposentadoria?
Contribuir para o INSS não te dá apenas os benefícios da aposentadoria. Há também o benefício do afastamento por condições de saúde. Porém, este não é o foco de nosso artigo. Vamos focar nos seguintes benefícios oferecidos a quem contribui para o INSS, ou seja, os diferentes tipos de Previdência:Aposentadoria especial;Aposentadoria por idade;Aposentadoria por invalidez;Aposentadoria por tempo de contribuição.
Autônomos, profissionais liberais, Microempreendedores Individuais (MEI), empregados: cada um destes tipos de profissionais deve pagar o INSS por meios e formas diferentes para ter direito aos benefícios das aposentadorias acima.C
Como um empregado contribui para o INSS?
A empresa empregadora desconta do salário do empregado a contribuição do INSS. O empregado pode contribuir a mais através da Guia da Previdência Social (GPS), aposentando com proventos maiores do que a contribuição que ele atualmente faz (mais detalhes abaixo).
Como autônomos, profissionais liberais e empregados domésticos contribuem para o INSS?
Autônomos, profissionais liberais e empregados domésticos devem contribuir para o INSS através da Guia da Previdência Social (GPS), que pode ser preenchida diretamente no site da Previdência Social.
Como Microempreendedor Individual (MEI) contribui para o INSS?
O MEI, ao efetuar o pagamento do valor fixo mensal estabelecido, já terá direito às aposentadorias da Previdência no valor de um salário mínimo. Caso exerça outra atividade além de MEI, o contribuinte pode acrescentar 20% em relação a esta atividade e complementar com 15% a contribuição de 5% relativamente ao MEI, comando os valores para compor a base de cálculo da aposentadoria.
Contribua com o mínimo para sua aposentadoria, aumentando para o teto apenas nos 7 anos anteriores à sua aposentadoria. (Foto: www.beneficioinss.net)
Quanto devo pagar de INSS?
O valor “obrigatório” a ser pago depende de quanto você ganha por mês e o tipo de trabalhador que você há, sendo a alíquota maior à medida em que seu salário aumenta também. Anualmente, a Previdência Social divulga uma tabela com as alíquotas a serem pagas pelos diferentes profissionais em relação ao salário mínimo e que aumenta proporcionalmente para quem recebe dois ou mais salários mínimos, até um teto estabelecido também anualmente pela Previdência Social. Essa tabela estabelece o salário de contribuição e a alíquota para fins de recolhimento do INSS, ficando disponível no site da Previdência Social. A aposentadoria será relativamente proporcional ao salário e à alíquota paga pelo empregado, mas alguns detalhes devem ser destacados, além de diferentes tipos de contribuição e contribuintes.
Autônomos, liberais, facultativos e empregados domésticos
Entram nessa lista também os empregados que querem contribuir a mais para a Previdência e aposentar com o teto. Podem contribuir com 11% referente a um salário mínimo, o chamado salário de contribuição. Quem fizer este tipo de contribuição receberá um salário mínimo quando se aposentarem e não poderão se aposentar por tempo de contribuição, só por idade. Esta opção não é boa para empregados que querem contribuir a mais na aposentadoria, já que o desconto no salário feito pelo empregador já dá esse direito ao contribuinte. O outro tipo de contribuição disponível para autônomos ou contribuintes facultativos é o pagamento de 20% do salário de contribuição apresentado na tabela do INSS. Para este caso, quem se inscreveu na Previdência até 28 de novembro de 1999, o valor do benefício será a média das 80 maiores contribuições feitas a partir de julho de 94 até o ano da aposentadoria. Para quem se inscreveu na Previdência a partir de 29 novembro de 1999, o valor do benefício será a média das 80 maiores contribuições ou aproximadamente 7 anos de contribuição.
Produtores rurais
Produtores rurais podem contribuir com 2,7% referente ao valor do salário de contribuição, mesmo que a renda seja inferior ao valor do salário mínimo. No comércio com empresas, estas devem descontar 2,3% do pagamento ao trabalhador rural e completar o valor com 0,4%, referente a, pelo menos, um salário mínimo. O cálculo da aposentadoria segue a mesma fórmula de autônomos, liberais, facultativos e empregados domésticos.
Aposentar pelo teto do INSS
Quem contribui para o teto do INSS nunca vai aposentar ganhando o teto, mesmo que tenham pago esse valor a vida inteira. Isso ocorre devido ao Fator Previdenciário, uma fórmula que leva em consideração a alíquota de contribuição, idade do trabalhador, tempo de contribuição à Previdência Social e expectativa de sobrevida do segurado conforme tabela do IBGE. Mulheres, professores e professoras recebem uma certa vantagem em relação a outros tipos de profissionais na hora de se aposentar, acrescentando alguns anos ao cálculo do tempo de contribuição. Mas se você quer aposentar aproveitando o máximo que a Previdência pode oferecer, há duas possibilidades, como já falamos acima: quem se inscreveu na Previdência até 28 de novembro de 1999 e quem se inscreveu na Previdência a partir de 29 novembro de 1999.
No primeiro caso, até 28 de novembro de 1999, o valor do benefício será a média das 80 maiores contribuições feitas a partir de julho de 94 até o ano da aposentadoria.
No segundo caso, a partir de 29 novembro de 1999, o valor do benefício será a média das 80 maiores contribuições ou aproximadamente 7 anos de contribuição.
Pague o teto da aposentadoria apenas nos últimos 7 anos de contribuição
Se você analisar a fórmula do Fator Previdenciário, verá que é quase impossível ganhar o teto de aposentadoria do INSS. Por isso, nossa recomendação é que você planeje uma época aproximada para sua aposentaria e 7 anos antes, começar a contribuir com o teto do INSS.
Vamos dar um exemplo: você planeja se aposentar com 65 anos o que. Entre 55 e 58 anos, eu começo a contribuir para a Previdência social com o teto da tabela do INSS. Simples assim. Agora, se sua preocupação é quanto a invalidez ou problemas de saúde que possa prejudicar sua renda, você pode e deve fazer uma diversificação de investimentos e gestão de risco, incluindo na sua carteira um seguro de vida e um seguro de renda. Assim, você se protegerá corretamente de depender do governo.
Na média, o correto é contribuir com o mínimo possível de acordo com sua faixa salarial e, assim que faltarem 7 anos para aposentar, passar a contribuir com o teto.
Ficou alguma dúvida? Deixe nos comentários suas perguntas! Estamos aqui para ajudar.