Como perder de vez o "medo de investir"

As oportunidades do mercado financeiro atraem por sua rentabilidade, mas afastam pelo medo de investir. Esse temor em grande parte se deve aos riscos.
Então neste artigo você vai perder o medo de investir, conhecendo as opções de investimento de médio e baixo risco. Assim como vai aprender a amortizar os altos riscos de um ativo, aplicando a diversificação. Como perder o medo do “risco”
Perder o medo de investir é um exercício motivacional que você deve fazer adquirindo conhecimento. Saber mais sobre as variáveis que compõe o mercado ajudam a prever o tão temido risco.
O risco é um fator determinante para conhecer um ativo, entre outros fatores como a rentabilidade e o prazo. No caso destes últimos quase tudo vai depender das partes envolvidas em um acordo ou contrato. Leia também   Azul propõe compra de operações relativas à Avianca Tipos de Riscos
É possível definir três tipos de riscos, sendo que eles estão atrelados aos ativos ou títulos que você pode adquirir: Baixo risco – Os investimentos de baixo risco pertencem ao seguimento da renda fixa. Normalmente são títulos de dívida e podem ser emitidos pelo governo ou por empresas do setor privado (Tesouro Direto e CDB) Médio risco – Fundos de Investimento são a pedida para quem quer arriscar com moderação. O aporte inicial para este tipo de investimento é bem inferior a qualquer outro e o risco é analisado e administrado pelas corretoras Alto risco – Este tipo é encontrado na Bolsa de Valores, mais precisamente nas ações que são negociadas lá. Elas formam parte da renda variável e como diz o nome tanto a rentabilidade como o risco variam muito Leia também   Itaúsa (ITSA4) é a melhor ação da bolsa?
Investimentos como a Poupança também são considerados de renda fixa, porém o seu rendimento não é tão compensatório. Apesar do risco ser praticamente zero, aplicar na caderneta é como deixar o dinheiro parado. Diversificação: amortize seus riscos
A diversificação não é nada mais do que distribuir seus investimentos, em mais de um seguimento do mercado. É similar a máxima de não colocar todos os ovos na mesma cesta.
Após conhecer cada um dos tipos de riscos, o que você deverá fazer é adquirir ativos em pares. Ou seja: Baixo e alto risco Médio e alto risco Baixo e médio risco Todos os tipos de riscos
É possível apostar em apenas um dos três tipos, mas é preciso lembrar que quanto maior o risco maior a rentabilidade. Sendo assim ao mesclar ativos diferentes, você estará maximizando o seu retorno e amortizando os riscos. Leia também   As melhores ações dos setores de energia e saneamento
O mais indicado é começar a investir evoluindo o grau de risco, que você está disposto a aceitar. Assim como você deve administrar a expectativa de rentabilidade e estar ciente do prazo que precisa para alcançar suas metas. Tags: Açõesalto riscoamortizaraporte inicialbaixo riscoBolsa de ValoresCDBdiversificaçãoFundos de investimentomédio riscoperder o medo de investirpoupançaprazoRenda fixaRenda variávelRentabilidadeTesouro direto