Previdência Privada vale realmente a pena?

Com diversas opções de investimentos disponíveis no mercado, pessoas buscam alternativas para possuir uma aposentadoria mais rentável que o INSS.
A previdência privada é uma solução alternativa à previdência social, que tem por objetivo uma rentabilidade maior. O intuito de quem opta por esse tipo de investimento, é ter um plus na aposentadoria, sem depender apenas do INSS.
Todavia, a escolha da instituição a qual irá lhe garantir os rendimentos de uma previdência privada deve ser a melhor possível. Posto que uma seguradora ou banco pouco consolidado, pode lhe oferecer planos não tão vantajosos.
Logo, é importante que se saiba um pouco sobre os planos da previdência privada e quanto ela poderá lhe render. Ao continuar a leitura, iremos lhe mostrar os planos comuns e abordaremos sobre a rentabilidade.
Índice de conteúdo Plano de previdência privadaPGBL – Plano Gerador de Benefício LivreVGBL – Vida Gerador de Benefício LivreQual o rendimento da previdência privadaPrevidência privada vale a pena Plano de previdência privada
Inicialmente, cabe mencionar que há ainda tipos de previdência privada, qual seja a PGBL e a VGBL. Para saber qual escolher, é importante conhecer as características, e em qual tipo de trabalhador você se enquadra. Leia também   Brasileiros desconhecem investimentos: 65% preferem poupança PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre
Para quem é trabalhador sob regime celetista, ou seja, possui carteira assinada, indica-se Plano Gerador de Benefício Livre. Isso porque este plano permite o abatimento de até 12% do imposto de renda.
Logo, se você declara sua renda completa, é este o plano que você deve procurar. Para exemplificar, supomos um indivíduo que ganhe 100 mil reais e ao ano.
Caso ele possua o PGBL de previdência privada, quando da declaração do imposto ele não irá pagar sobre 100.000 reais. Mas sim sobre 88 mil reais, que é o valor real ao se deduzir os 12% que permite o plano.
Entretanto, para poder aderir ao PGBL, o trabalhador deve estar contribuindo com a previdência social. Logo, mesmo que você adquira um plano de previdência privada, não poderá se dispor da previdência pública. VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre
Já no caso do trabalhador autônomo, o plano indicado para previdência privada é o VGBL. Isto porque este plano não permite abatimento de percentual no IR, e destina-se aquele que não tenha o dever de declarar o imposto. Leia também   Ações mais baratas e de dividendos para 2020 Qual o rendimento da previdência privada
Iniciamos do pressuposto onde a previdência privada já é mais rentável que a poupança. Isso porque conforme os últimos dados obtidos em 2018, num período de 12 meses, a previdência privada pode chegar a render 7,5%.
Para exemplificar, digamos que você possua 20 anos e adquira um plano de previdência o qual invista ao mês cerca de 100 reais. Ao bater 60 anos, o dinheiro que investiu terá batido uma marca maior do que 280 mil reais.
Se compararmos à poupança, o rendimento anual no último ano não superou os 6%. O que pode ser ainda menor, posto que os 6% foi maior percentual atingido, e devemos considerar as oscilações. Previdência privada vale a pena
Como todo investimento, a previdência privada possui vantagens e desvantagens. Todavia, alguns economistas acreditam ser importante esse tipo de investimento, pelo fato da comum ser baixa. Conheça os prós e os contras: Se você possui direito a uma previdência PGBL, poderá abater até 12% no seu imposto de renda anual. Para quem tem problemas em economizar para investir em um plano de previdência, bancos disponibilizam a função de débito automático. A previdência privada, em caso de morte do titular, é transferida diretamente aos beneficiários elencados no contrato. No final do prazo contratado, você não precisa sacar todo o dinheiro, podendo retirá-lo na medida de sua necessidade. Leia também   Não invista sem uma estratégia de diversificação
Fora o fato de que a previdência privada rende mais que a própria poupança, podendo atingir 7,5% ao ano. Entretanto, a previdência privada tem alguns contras que são importantes de serem pontuados: Fique atento às taxas cobradas, para que não comprometa muito dos seus rendimentos Quando efetuar o resgate, a tributação é automática, por isso, fique atento ao contrato. Ou seja, quando você fizer o saque, já será descontado o imposto. A importância de se optar por um banco consolidado é que esse tipo de investimento não há garantias. Ou seja, se a instituição falir, você não terá seu dinheiro de volta. Tags: #lucroINSSInvestimentoPGBLPrevidênciaprevidencia privadaReforma da previdênciaRentabilidadeVGBL